Após operação com morte e prisões, PM ocupa Conj. Virgem dos Pobres

Um suspeito morreu, oito foram presos e um continua foragido, diz polícia. Ocupação por tempo indeterminado é para combater tráfico e homicídios.

Após a operação policial realizada na manhã desta quarta-feira (28) para combater crimes de tráfico de drogas e homicídios em Alagoas, militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) ocuparam o Conjunto Virgem dos Pobres, no bairro do Vergel do Lago, em Maceió.

A ação para cumprir 29 mandados de busca e apreensão e oito de prisão, expedidos pela 17º Vara Criminal da capital, resultou na morte de um suspeito, identificado como José Eraldo Bezerra Leite, 45, o Eraldo do Gás, e na prisão de outros oito, sendo que dois deles já estavam presos por outros crimes. Uma pessoa está foragida.

Os presos foram identificados como Gonçalo Barbosa dos Santos, 39 anos, conhecido como Casquinha; a esposa dele, Rozinalva Tertuliana de Moura, 49; Adriano Gustavo da Silva Santos, 22, conhecido como Garrincha; Everton Evangelista dos Santos, 28; Maria de Lourdes dos Santos, 34; Cristiane Soares da Nóbrega, 32; José Flávio Nunes dos Santos, 28, o Flávio da Toca, preso no Presídio do Agreste por outros crimes; e Rodrigo Cleiton Felix da Silva Brabo, 30, que também também já cumpre pena, mas em Maceió.

Com exceção de Gonçalo, que não quis falar com a imprensa, todos os suspeitos negam as acusações.

Na capital, foram alvo da operação o Conjunto Virgem dos Pobres, no Vergel do Lago, o bairro do Ouro Preto e o Conjunto Santa Maria, no Eustáquio Gomes. 500 gramas de cocaína foram apreendidos em uma residência. Além disso, também foram apreendidos outros 300g de maconha com Gonçalo e Rozinalva.

Dois dos presos usam tornozeleiras de monitoramento eletrônico, obrigatória a quem cumpre pena regime aberto. Os investigados e o material apreendido foram levados para o Complexo de Delegacias Especializadas (Code), em Mangabeiras.

As investigações duraram 4 meses. A operação foi desencadeada pela SSP e contou com o apoio do Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), Bope e 1º BPM, Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), Tático Integrado de Resgates Especiais (Tigre), Operação Asfixia, Radiopatrulha (RP), Operação Policial Litorânea Integrada (Oplit), 4º BPM, Grupamento Aéreo e Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).

A coordenação foi da coordenação da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico e do Comando de Policiamento da Capital (CPC).

g1

28/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0