Artista expõe obras feitas a partir de plantas e animais em decomposição

Karla Melanias utiliza técnica de escanografia para compor imagens. Objetivo é levar público a repensar relação com universo ao seu redor.

Observar a vida a partir de elementos da natureza em decomposição, como plantas e animais mortos. Essa é a proposta da exposição “Jardins Suspensos”, da artista alagoana Karla Melanias.

Utilizando uma técnica chamada escanografia, onde as imagens são produzidas a partir de um scanner, ela provoca o público a repensar a relação com o universo ao seu redor e, principalmente, consigo mesmo.

A exposição foi montada na Pinacoteca Universitária da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), no centro de Maceió. Além das peças produzidas pela artista, até as paredes do local ganharam cores que fazem com que o público se sinta rodeado pela natureza e assim questione a própria existência.

“Usando esses elementos orgânicos do reino animal e vegetal, que se cruzam e criam uma nova imagem, passamos a olhar para nós mesmos a partir da natureza, com coisas que estão vivas e se desfazendo, se recompondo, se recriando ou sendo recriadas”, diz Karla.

Os elementos utilizados por Karla são plantas, flores e até aves que estavam mortas e entrando em processo de decomposição. A partir daí, usando também terra ou outros elementos naturais, ela compõe as peças.

“Coletei matéria orgânica vegetal do Sertão de Alagoas, o que influenciou as cores, até das paredes da galeria. As obras têm tons solares, que lembram o clima quente da região. Conseguir os pássaros é mais difícil. Geralmente eu os ganho, não saio procurando na natureza. Por isso, só faço uma ou duas peças com eles ao ano”, explica Karla.

Com os elementos em mãos, Karla, que é fotógrafa, os organiza manualmente em um scanner, equipamento geralmente utilizado para digitalizar documentos. Cada detalhe das imagens é pensado cuidadosamente.

“A escanografia é uma técnica recente, que venho investigando há 3 anos, mas já é objeto de estudo há cerca de 10 anos. Cada artista cria seu método, mas a dificuldade comum é não poder controlar a luz. Eu estou a mercê de um equipamento que eu mudo o uso natural para criar meus trabalhos. Depois de feitas as imagens, eu não as edito. Elas estão aqui como foram feitas no scanner”, afirma a artista.

Prontas, as escanografias parecem pinturas, e expostas em tamanho grande. Assim, uma simples erva daninha fica do tamanho de uma criança. A ideia, de acordo com a artista, é fazer com que as pessoas se vejam nessas peças.

“São coisinhas muito pequenas, mas que eu coloco na escala humana, porque estou provocando as pessoas a se verem ali e pensarem a relação que elas têm com o mundo, com os outros e com a natureza”, conclui.

A exposição foi aberta no fim de 2016, e segue até março. No local, há sete escanografias, uma instalação com paisagem sonora e projeção visual e um conjunto de sete obras realizadas com elementos naturais, como uma asa e ninhos de pássaros. A entrada é franca.

Serviço
Exposição “Jardins Suspensos”, de Karla Melanias
Onde: Pinacoteca Universitária, na Praça Sinimbu, centro de Maceió
Quando: até o dia 3 de março, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h
Quanto: Entrada gratuita
Informações: (82) 3214-1545

g1

08/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0