Briosa aceita outro projeto e Arena do Santos não deve sair do papel

Torcedores da Portuguesa Santista no Estádio Ulrico Mursa, em Santos (SP), durante a segunda partida contra o Desportivo Brasil, válida pela final do Campeonato Paulista 2016, da Segunda Divisão.

O sonho do Santos de ter sua própria Arena parece estar ficando cada vez mais difícil. Isso porque a Portuguesa Santista, que estaria envolvida no acordo com o Peixe, aceitou um outro projeto de estádio próprio e descartou o acerto com o alvinegro.

Inicialmente, os portugueses estavam dispostos a confirmar a parceria com o Santos. Porém, após analisarem o projeto da Arena do Peixe, em agosto, que prevê a revitalização do Ulrico Mursa e perda de parte do terreno, os dirigentes da Briosa se reuniram com o Grupo Mendes, em outubro, e conheceram, de forma oficial, uma segunda opção de construção.

Em reunião extraordinária realizada na noite desta terça-feira, os conselheiros do time lusitano tiveram que optar entre os dois projetos apresentados. De forma unânime, os portugueses escolheram pela parceria com o Grupo Mendes. Foram 41 votos a favor da proposta da empresa, enquanto o possível acordo com o Santos não recebeu nenhum voto.

Agora, com a negativa da Portuguesa Santista, os santistas precisarão buscar uma outra forma de realizar o sonho de construir seu estádio. Um projeto semelhante ao inicial, usando apenas com o terreno da Associação Atlética dos Portuários de Santos e sem a participação da Briosa, não está descartado. Porém, os dirigentes acreditam que ele dificilmente sairá do papel, por conta da proximidade que as duas arenas teriam, atrapalhando o trânsito e a movimentação de torcedores no local.

A proposta feita por Armênio Mendes, um dos principais empresários da Cidade, não terá nenhum custo para a Portuguesa Santista e não vai depender de uma parceria com o vizinho alvinegro. O time lusitano agora deverá ganhar uma nova sede social, com estádio para 12 mil pessoas, revitalização da sua fachada, entre outros serviços. E em troca, os investidores do Grupo Mendes irão construir um shopping no terreno.

Já na oferta feita pelos dirigentes santistas, o Peixe, em troca da construção, ficaria com parte dos 14.500 mil m² do Ulrico Mursa e ainda compraria outro espaço ocupado pela Briosa, que hoje pertencente à Secretaria de Patrimônio da União.

Segundo apurado pela Gazeta Esportiva, as obras no local, sem a participação do Santos, devem começar a partir de maio de 2017, quando termina a Série A3 do Campeonato Paulista.

Gazeta Press

07/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0