Eles chegaram atirando, diz segurança que sobreviveu a ataque de clientes em casa noturna

Dois homens ainda balearam outro segurança, que morreu no domingo (18) na Zona Norte de SP. Criminosos seriam clientes que foram expulsos de balada.

“Foi muito rápido, assim, eu nem consegui ver como eles chegaram. Eles chegaram atirando. A gente saiu correndo”. Foram com essas palavras que uma segurança descreveu como foi o ataque de clientes na casa noturna onde trabalha em São Paulo.

Ela, que tem 22 anos, foi atingida de raspão na perna e sobreviveu a ação dos agressores. Seu colega, o segurança Aiton Pereira de Araújo, de 52 anos, foi baleado no peito e morreu. O crime ocorreu na madrugada de domingo (18), na Zona Norte da capital.

A mulher aceitou conversar com o SPTV desde que seu nome e rosto não fossem divulgados. Para ela, o caso foi de vingança. Segundo a segurança, clientes que estavam arranjando briga dentro da balada sertaneja prometeram vingança depois de terem sido expulsos por seguranças do lugar.

“Eu senti uma fisgada na perna. foi quando eu cai, e o seu ailton caiu em cima de mim, em cima das minhas pernas”, falou ela, que contou como encontrou Ailton. “Ele já estava baleado no peito que eu vi.”

Ailton trabalhava no controle de entrada da boate e não na segurança interna, responsável por retirar os clientes da balada. Dois deles voltaram armados e acompanhados de outras pessoas. Eles passaram em frente a casa noturna, na Avenida Conceição, Vila Guilherme.

Em seguida, atiraram. Os seguranças feridos foram socorridos e levados a um hospital. Ailton não resistiu aos ferimentos e morreu. O corpo dele deve ser enterrado nesta segunda-feira (19).

A Polícia Civil de São Paulo analisa imagens de câmeras de segurança para tentar identificar os criminosos. Até a publicação desta matéria, a polícia não havia identificado ou prendido suspeitos pelo crime.

Na fuga, os criminosos bateram o carro contra o muro de uma casa e fugiram a pé. De acordo com a polícia, o veículo usado por eles foi roubado de um motorista. Segundo a vítima, os bandidos estavam armados e ameaçaram matá-lo se ele não entregasse o automóvel.

O caso está sendo investigado pelo 73º Distrito Policial (DP), Jaçanã. A reportagem não conseguiu localizar os responsáveis pela casa noturna para comentarem o assunto.

g1

19/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0